Tudo que você precisa saber sobre o Projeto BR do Mar

Foto do autor do post Marcos Tomaz

por

Marcos Tomaz

27 de ago de 2020

· 3 min de leitura

· 3 min de leitura

Foto do post Tudo que você precisa saber sobre o Projeto BR do Mar

No último dia 11 de agosto, o governo entregou para o Congresso Nacional, em caráter de urgência, o projeto de lei apelidado de BR do Mar, que estimula a Cabotagem. O projeto tem como finalidade principal estimular o transporte de mercadorias internamente e aumentar a competitividade industrial do país.

O próprio ministro Paulo Guedes afirmou em redes sociais que a intenção é derrubar o custo de transporte no Brasil inteiro. Durante assinatura do projeto, o ministro destacou que atualmente o minério que vira aço na região sul do país chega a região nordeste 40% mais caro do que se tivesse ido para a China e voltado. Isso pelo custo no transporte.

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Infraestrutura, o texto do Projeto de Lei, criará novas rotas marítimas e reduzirá os custos de transporte nas rotas existentes. O volume de contêineres transportados deve ser ampliado de 1,2 milhão para 2 milhões ao ano.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, afirmou também que além de permitir o barateamento dos custos eles planejam um aumento da frota em 40% nos próximos três anos.

O projeto usa quatro eixos fundamentais para incentivar a Cabotagem: frota, indústria naval, custos e portos.

Em relação às frotas, o programa estimula as empresas já existentes e dá mais autonomia a elas, além de desburocratizar o registro e o tráfego de embarcações.

Para a indústria naval, o governo pretende estimular a docagem de embarcações internacionais no Brasil, o que aumentará o conhecimento em manutenção e a comercialização de peças e maquinário para navios, estimulando a escalonagem da indústria brasileira.

As ações sobre os custos incidirão sobre os trâmites burocráticos da cabotagem. Taxas e regulamentações devem ser diminuídas e aceleradas.

Para o eixo relacionado aos portos, está prevista a agilização da entrada em operação de terminais dedicados à cabotagem. Empresas que não possuem operações em determinados portos também terão vantagens, afirma a nota técnica.

Agora que você sabe o que é a Cabotagem e que o Governo Federal está incentivando esse tipo de transporte de cargas no Brasil, as empresas que atuam neste segmento de transporte marítimo naturalmente vão precisar de um Sistema de Gerenciamento de Transportes para gerenciar toda complexidade que essa modalidade exige.

A Signa com o TMS e-cargo faz isso há mais de 15 anos, ou seja, trata todas essas questões com naturalidade, devido a sua vasta experiência neste assunto, e além disso tem a honra de atender as três principais empresas deste ramo com a sua solução multimodal para gestão de transportes.

No vídeo abaixo você vai conhecer outras dicas sobre o tema de hoje.

Marcos Tomaz

Analista de Sucesso do Cliente, pai do Vicente, fã do futebol bem jogado e que aproveita o simples, porque o complicado a gente resolve.

 

Links Relacionados

 

 

Conheça nossos eBooks

 

0

Ultimos comentários

Fabrício Júnio Borba

MUITO BOM DIA, Qual seria o impacto para transporte rodoviário de cargas no país ? Aumentaria em alguns polos ?

Marcos Tomaz

Boa tarde Fabrício, conforme a demanda pela cabotagem aumente, acreditamos sim que ocorra uma diminuição das viagens no transporte de cargas pelo modal rodoviário, isso quando realizado a longa distância, mas por outro lado, é possível que aconteça um aumento por viagens mais curtas nas pontas.

Ricardo Lavezo

Boa tarde! outros armadores que operam no longo percurso podem usufruir desse projeto para operar na costa brasileira como por exemplo, MSC e HAPAG?

Exibir mais comentários