A falsa pirâmide de Maslow

O infográfico mais popular no meio empresarial, sem dúvida, é a pirâmide de Maslow. Ela condensa a ambição humana e simplifica a teoria de como as pessoas buscam melhorar e progredir. Ela é simples, e traduz de forma gráfica um assunto complexo, mas ela está totalmente errada.

Essa é a conclusão que alguns pesquisadores chegaram ao estudar a teoria de Maslow. Revendo todo o material produzido, Maslow nunca desenhou a famosa pirâmide. E o problema nem é esse. O mais grave é que o desenho, além de simplificar, altera o conceito. Como este é um dos modelos mais usados para entender e dimensionar o comportamento, ele serviu e ainda serve de baliza para as corporações proporem políticas de retenção.

A teoria da hierarquia das necessidades é do Maslow, mas a pirâmide teria sido produzida por um consultor. A partir daí ela viralizou, e passou a ser a pirâmide de Maslow.

Não funcionamos de forma hierárquica

A teoria de Maslow ainda hoje é uma das melhores teorias disponíveis para explicar o que move as ações e escolhas das pessoas.

A pirâmide pressupõe que você só almeja itens do próximo patamar quando já está atendido nos patamares anteriores. No nível inicial estão as necessidades básicas. Se não temos comida, água, roupas para nos aquecer, e um teto para dormir, nada mais importa. Qualquer outra necessidade não interessa enquanto o básico não for suprido.

A pirâmide pressupõe que nossas expectativas dependem de nossos vencimentos. Quem ganha mais, está mais acima na escala, e tem mais necessidades e expectativas do que os que ganham menos, porque os segundos se satisfazem somente tendo uma renda e pondo comida na mesa.

Pirâmide de Maslow

Um dos problemas com a pirâmide é acreditar que um homem que tem as suas necessidades básicas atendidas não pode mais ser motivado para satisfazer essas necessidades, Maslow nunca fez tal afirmação, ao contrário, ele dizia que o mais comum é estarmos parcialmente satisfeitos e parcialmente insatisfeitos ao mesmo tempo.

Como a pirâmide moldou nosso pensamento

Uma implicação no uso da pirâmide é a noção implícita que pessoas no topo de uma organização possuem necessidades mais sofisticadas comparando com os que estão na base. E nós somos bem mais complexos do que isso.

A pirâmide dá um sentimento errado à gerência, que somente os recursos mais caros precisam de cuidado para atingirem as suas aspirações. Para a base, pagar o salário em dia já é o suficiente.

Como já pude constatar em diferentes organizações, a forma de gerenciar e tratar os recursos faz uma enorme diferença.

Vamos pegar como exemplo uma mão de obra básica em qualquer transportadora: os motoristas e ajudantes. É uma mão de obra que necessita de mais qualificação e seria enquadrada na base da pirâmide. Como explicar que uma empresa tem um turn over elevado e vive se defendendo de causas na justiça enquanto outra usa esses profissionais como sendo um dos fatores críticos para o sucesso do negócio?

Para alguns, a pirâmide não só funciona, mas foi atualizada para os tempos atuais.

Necessidades humanas básicas

Outro engano que a pirâmide permite concluir, é que mais dinheiro significa mais felicidade. Se todas as necessidades estarão garantidas, logo esses profissionais são mais produtivos e mais felizes. Se assim fosse, não haveria pessoas ricas que sofrem, que se divorciam, que ficam viciadas em drogas ou que cometem crimes.

Finalmente a pirâmide nos dá um sentimento de escassez. Há um funil natural no topo, não cabe todo mundo lá, logo, a plena realização só estará disponível para poucos que consigam escalar ao topo do Olimpo.

O que Maslow realmente diz é que a cultura e o contexto de cada um fazem diferença. Não temos todos as mesmas necessidades, nem almejamos as mesmas coisas.

Para mim, a base da pirâmide atua mais como um fator higiênico, do que motivacional. Segundo a teoria do Frederick Herzerber, a falta de fatores higiênicos reduz a produtividade, mas o fato deles estarem atendidos não faz o contrário, eles são, portanto, neutros para uma melhoria, porém, a sua falta atrapalha.

É possível um colaborador que alocaríamos na base da pirâmide fazer um importante trabalho social em seu tempo livre que o dê prazer e satisfação, ainda que ele viva brigando com o seu cheque especial.

É possível o diretor da empresa ter um casamento complicado, ser um gastador compulsivo e viver à base de remédios para ansiedade.

A qualidade de vida é uma equação mais complexa do que a pirâmide de Maslow pode resolver.

No final das contas, o ser humano é capaz de ter e satisfazer necessidades de todos os degraus da pirâmide ao mesmo tempo, atendendo alguns parcialmente e outros não.

 

Nuno Figueiredo

Engenheiro Eletrônico formado pela Mauá, MBA em Gestão Empresarial pela FGV, é um dos fundadores da Signa, onde atua desde 95. Entre outros defeitos, jogou rúgbi na faculdade, pratica boxe e torce pelo Palmeiras.

 

Foto: Freepik

Conheça nossos eBooks

 

3 Comentarios
  • Denise Tucciarelli - 21/05/2019
    Não é tão simples ou exato, mesmo. Cada um tem um jeito de ver a vida, de encará-la e o que é importante para um, não significa nada para outro. Existem pessoas que ganham pouco, mas se sentem tão realizadas, que com o pouco, fazem muito. E talvez o muito delas, nem seja tanto assim!
  • Daniel de Mello Oliveira - 21/05/2019
    Pessoal, estou fazendo um curso a distancia da Case Western Reserve University sobre Inspirar Liderança através da Inteligencia Emocional. No curso eles esclarecem muito bem como é um ciclo positivo ou negativo da atuação de um líder através de atratores emocionais (PEA: atratores emocionais positivos e NEA : atratores emocionais negativos). Toda a teoria fala sobre emoções e coaching com compaixão! Não entra no mérito de valores/ reputação/ poder, pois buscam desenvolver o ser humano. Através de um conversa estruturada em busca do conhecimento de seus líderes, podemos contribuir muito com o bem estar dos mesmos e da equipe. Alegria, 100% de atenção ao seu interlocutor durantes as conversas, cuidado com o ambiente são fatores muito relevantes! Concordo com Maslow, pois o ser humano e a sociedade são muito complexos! Cada um tem sua piramide, na medida ideal de cada indivíduo. Abs,
  • Viviane Rosa - 21/05/2019
    Ótimo texto, uma boa reflexão onde o ser humano é igual a qualquer um, as decisões que tomamos é que define.